Literatura

POEMA DE MACHADO DE ASSIS

Círculo Vicioso Bailando no ar, gemia inquieto vaga-lume: – Quem me dera que fosse aquela loura estrela, que arde no eterno azul, como uma eterna vela ! Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme: – Pudesse eu copiar o transparente lume, que, da grega coluna á gótica janela, contemplou, suspirosa, a fronte amada e […]