COMPORTAMENTO POLÍTICA

O MECANISMO QUE O POVO BRASILEIRO QUER DERRUBAR

O esquema que vem sendo armado desde a proclamação do resultado do 2º turno, em 2018, está atacando por todos os lados e em todas as direções. Porém, o alvo é um só: o Presidente da República. Inicialmente era formado pelos que deixaram de controlar os cofres públicos, e a custa deles se enriqueciam. Depois, a eles se juntaram os partidos que tinham Ministérios como Capitania Hereditária. E são muitos. Em seguida tomaram o Legislativo, onde tanto Maia como Alcolumbre, e agora Rodrigo Pacheco – todos com processos de corrupção engavetados ou arquivados pelo …Supremo, se tornaram os porta vozes da caterva. Nem vou falar da grande mídia, essa, como estamos cansados de saber, em crise de abstinência financeira, vem martelando diuturnamente a figura do Presidente da República, e de sua família, como forma de desgastá-lo aos olhos dos espectadores noveleiros e dos assistentes de seus diários jornais. Pra completar o quadro, a necessária cumplicidade do Judiciário. E coube ao STF desenvolver um script de ameaças à Democracia, tanto na fala de alguns de seus Ministros, como Fachin e Barroso, como na invenção estapafúrdia das “fakes news” e as “tais ameaças antidemocráticas” – que até agora ninguém sabe exatamente o que significa, sob a batuta do advogado do transporte alternativo de SP, que a imprensa já identificou como esquema de lavagem de dinheiro do PCC. E a pressão começou com ameaças de prisão. E as prisões aconteceram. E a pressão aumentou com a presença da PF nas residências e locais de trabalho contra quem se habilitasse abertamente a condenar essa ameaça de atos ditatoriais, e conclamassem seus seguidores a se manifestar pacificamente – como aliás tem sido, nas ruas e praças do Brasil.
Finalmente, e como parte do script, desmonetizaram as plataformas que ousavam fazer elogios ao Presidente da República – alvo final das operações, e tecerem críticas ao Deuses do Olimpo. Destacado pelo restante do corpo dos Altíssimos, Magnânimos e Supremos seres que habitam a Alta Corte, Alexandre de Moraes se especializou tanto na “tarefa” que fez reviver a figura do “inspetor de quarteirão”. Ou não foi isso que vimos no recente episódio no Clube Pinheiros de SP, onde assessores e guarda-costas do Ministro não gostaram de ouvir comentários sobre o Ministro e deduraram – no sentido mais clássico, ao Ministro, e o Ministro – que no passado disse que quem não quisesse ouvir críticas não deveria ocupar cargo público, mandou fazer BO e o grupo de sócios que falava mal do Ministro vai responder a inquérito. Viram como já estão agindo os “inspetores de quarteirão” a serviço do Grande Alexandre? E assim será daqui pra frente. A processo como esse se dá o nome de VIOLÊNCIA AOS DIREITOS DA PESSOA HUMANA. Não há mais garantia da liberdade de expressão, de opinião e a seguir…a liberdade de pensamento.
Nem vou falar da ação de governadores que gastaram Bilhões de dinheiro destinado ao combate da Pandemia para resolver seus problemas de caixa, ou, como fizeram os do Nordeste, jogar 40 Milhões pela janela na compra de respiradores que nunca chegaram e a CPI sequer quer ouvi-los. Essa curta semana é decisiva. De um lado ou do outro. Nossa presença nas ruas serviu para mostrar que há apoio popular ao Presidente Bolsonaro, mas vamos aguardar. Confesso que não estou muito otimista. São muitos os interesses, sem falar nos externos, a desejar que o Presidente da República não complete o mandato que lhe conferimos.