ARTE

HOJE E AMANHÃ ELIMINATÓRIA CONCURSO/LÍRICO

  XII CONCURSO ESTÍMULO PARA CANTORES LÍRICOS

Candidatos ao concurso: Marcus Ouros, Aline Brito, Natalia Hubner e Raíssa Amaral

 

Quatro candidatos disputam os prêmios de melhor voz feminina e masculina, e de melhor intérprete de ópera e de canção de Carlos Gomes, hoje, na prova eliminatória, no auditório Marino Ziggiatti, do Centro de Ciências, Letras e Artes (CCLA – R. Bernardino de Campos, 989, Centro, tel. 3231-2567), às 19 horas e, se classificados como finalistas, participam da prova decisiva amanhã, 19 horas, no Teatro Municipal Castro Mendes (Rua Conselheiro Gomide, 62 – Vila Industrial – Campinas). O júri, integrado pelo maestro Eduardo Ostergreen e pelas professoras Márcia Guimarães e Lenita W. Mendes Nogueira, após avaliar as qualidades técnicas vocais e interpretativas dos cantores, proclamará os vitoriosos neste XII Concurso Estímulo para Cantores Líricos. O pianista oficial do concurso é o Prof. José Francisco da Costa (Chiquinho Costa). Os prêmios são no valor de 3 mil, para a melhor voz, e 2 mil reais para cada melhor intérprete de ópera ou canção. A prova é aberta ao público em geral, promovido pela Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Campinas, e pelo CCLA, idealizador do certame, com apoio técnico da ABAL Campinas.

Os vencedores irão se apresentar no próximo sábado, às 18h, no grande concerto popular, em tributo a Carlos Gomes, com a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, sob a regência do maestro Victor Hugo Toro, na Concha Acústica da Lagoa do Taquaral (Parque Portugal).

Conheça os candidatos

RAISSA AMARAL, soprano, é graduada, mestra e doutoranda em música com habilitação em canto lírico e práticas interpretativas (análise e performance) pelo Instituto de Artes da Unicamp, onde teve como orientador o Prof. Dr. Angelo José Fernandes. Ainda pela Unicamp, se formou em cordas popular sob a orientação de Ulisses Rocha. Estudou violão clássico com Sergio N. Belluco e piano com Dna. Cidinha Mahle. Com o Ópera Studio da Unicamp atuou nas óperas de Mozart “Don Giovanni” no papel de Donna Anna sob regência de Abel Rocha, “Die Zauberflöte” como Pamina, “Le Nozze di Figaro” como Condessa de Almaviva e em “Der Schauspieldirektor” como Mademoiselle Silberklang. Em “Dido and Aeneas” de H. Purcell, interpretou Belinda e foi Adina em “L’elisir d’amore” de Gaetano Donizetti. Protagonizou Carolina em “A Moreninha”, ópera de Ernst Mahle sob regência do próprio autor. Na temporada de 2016 do Theatro São Pedro (SP) destaca-se a estreia paulistana da ópera “O Anão” de Alexander von Zemlisky, onde interpretou Ghita. Em 2017 foi solista em “Valsas Vienenses” com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, sob regência do maestro Silvio Viegas, ali encerrando o ano com o ‘Messias de Haendel”. Em 2018, interpretou Violetta, em “La Traviata” com a Orquestra Sinfônica da Unicamp. Foi solista em Carmina Burana em Brasília com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. Recentemente venceu o VII Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, onde cantou sob regência do maestro Roberto Tibiriçá.

MARCUS OUROS, barítono. O paulistano Marcus Ouros graduou-se bacharel em Canto pela UNICSUL e licenciado em Música pela UNESP. Foi integrante do Coral Jovem do Estado e Coro Acadêmico da OSESP. Bolsista no 1º Festival Coral de Campos do Jordão, 7º Festival de Música do SESC Pelotas-RS e três vezes na Academia Canto em Trancoso-BA. Participou do studio Fábrica de Óperas sob orientação do maestro Abel Rocha, tendo cantado Uberto (La Serva Padrona, Pergolesi), Schaunard (La Bohème, Puccini), Tom/John (The face on the barroom floor, Molicone), Conte (Le Nozze di Figaro, Mozart), Gianni Schicchi (idem, Puccini) entre outros. Participou de coros de diversas óperas no Theatro São Pedro, como Don Giovanni (Mozart), La Belle Hélène (Offenbach), Katia Babanová (Janácek) e L’italiana in Algeri (Rossini), e debutou como solista em 2018 na Cia Ópera São Paulo como Gregory (Romeo et Juliette, Gounod). Integra atualmente o Studio Opera do Theatro Municipal de São Paulo sob direção do maestro Gabriel Rhein-Schirato, onde apresentou-se como Blansac (La scala di seta, Rossini).

Aline Brito é soprano lírico-ligeiro. Cursou graduação em canto lírico no Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro – CBM/CEU. Concluiu seus estudos em julho de 2019. Há seis anos estuda técnica vocal e repertório na escola Espaço das Músicas de Niterói, sob a orientação do professor Sergio Lavor e piano (técnica e repertório) no conservatório de Icaraí – Niterói. A cantora gonçalense é proficiente em língua francesa pela Universidade Federal Fluminense – Letras Português Francês, tendo se aperfeiçoado, através de intercâmbio em Nice – França. Aline Brito tem se apresentado, com frequência, em recitais e concertos – auditório da ASPI/UFF, Espaço das Músicas de Niterói, congressos católicos e evangélicos, Solar do Jambeiro, Teatro Municipal de Niterói, aparecendo como solista no coro lírico Heloísa Fidalgo. Em 2018, Aline foi convidada juntamente com o coro lírico de Niterói para cantar no antigo palácio do Itamarati. Atual sede da ONU. Todos os anos, Aline participa do encontro de corais da Associação de Professores Inativos da UFF (ASPI). Foi nesse espaço que a soprano deu seu primeiro recital solo também. Em 2 de julho de 2019, Aline viveu seu recital de formatura no Conservatório Brasileiro de Música, após três anos e meio de estudos. O coro lírico Heloísa Fidalgo fez uma participação especial.

Natalia Gessika Campos Hubner Andrade, soprano, é bacharel em canto lírico pela FAMES (Faculdade de Música do Espírito Santo); Pós-graduada em Canto e Expressão; vencedora da X Edição do Concurso de Canto Nacional Villa Lobos na categoria de “Melhor Intérprete Capixaba”; semi-finalista do Concurso de Canto Lírico Linus Lerner Voice Competition no Festival de Ópera de San Luis Potosì – México 2017; ganhadora do segundo prêmio no Concurso de Canto Lírico de Vinhedo em 2018. Com experiência no cinema e no teatro atualmente está em cartaz no musical “O Fantasma da Ópera” como cover de Carlotta Giudicelli e integra o naipe dos sopranos do Ensemble. Interpretou vários papéis em óperas, oratórios e concertos. Atualmente tem como orientador vocal o Baixo Barítono Lício Bruno.

Entrada franca.