COMPORTAMENTO POLÍTICA

Fundo do poço: agora, a esquerda está idolatrando um ex-investigado por pedofilia

Omar Aziz, presidente da CPI do Senado e que já foi investigado por pedofilia, virou o mais novo ídolo da esquerda

 

Além das acusações de desvios de aproximadamente R$ 100 milhões da Saúde pública de Amazonas, o senador Omar Aziz também já foi investigado na CPI da Pedofilia. E hoje, só por ser o presidente da CPI que importuna o governo Bolsonaro, a esquerda passou a idolatrá-lo. Antes ignorado nas redes sociais, agora as postagens de Aziz já possuem milhares de curtidas. Uma, em específico, já bateu 6,5 mil ”likes”. Nela, Aziz tentava passar uma imagem mais ”descolada”, pedindo dicas de filmes, e os internautas sugeriram um bem específico: ”Corra que a polícia vem aí!”. Veja:

Infelizmente, as investigações contra Aziz não terminaram com a polícia o conduzindo, algemado, para a cadeia. Em 2005, houve a CPI da Pedofilia no Senado. O na época vice-governador de Amazonas, Omar Aziz, saiu ileso. A ex-senadora Patricia Saboya, presidente dessa CPI da Pedofilia (que indiciou mais de 200 pessoas por abusos sexuais), contou o seguinte para a revista Isto É:

ISTOÉ – Quando a sra. fala em políticos envolvidos com a exploração de menores e nas pressões sofridas pela CPI, está se referindo a algum caso específico?

Patricia Saboya: O caso mais forte foi o do Amazonas. Houve uma intensa mobilização da bancada do Estado e de alguns parlamentares para proteger o vice-governador Omar Aziz, que era suspeito de envolvimento em exploração sexual de menores. Ele acabou absolvido por um voto e foi o único caso de pessoa suspeita a não ser indiciada pela CPI, apesar de ter seu nome incluído no relatório final. (…) O caso do vice-governador do Amazonas teve ampla repercussão e sua inclusão no relatório obedeceu ao mesmo padrão de seriedade adotado em toda a CPI. Foi o momento mais difícil da CPI para mim.