ECONOMIA

BRASILEIROS ENDINHEIRADOS

Quem São  Mais Ricos Do País?

O número de brasileiros com mais de US$ 1 bilhão aumentou de 42 em 2018 para 58 em 2019, de acordo com o ranking mundial da revista Forbes, indo na contramão do planeta que diminuiu de 2.208 bilionários contra 2.153 neste ano. Em comum a todos eles apenas o fato de dedicarem muito mais tempo ao trabalho que a maioria de nós.

Enquanto não entramos para esse seleto clube, vamos conhecer um pouco mais sobre seus membros na sequência a seguir.  Eis o primeiro

 

Walter Faria – US$ 2,3 bilhões

Walter Faria é proprietário do Grupo Petrópolis, segunda empresa de cerveja mais valiosa do Brasil. Entre as marcas da bebida alcoólica que fazem parte do conglomerado de Walter, estão: Itaipava, Crystal, Lokal Bier, como cervejas mais populares, mas também fermenta a Black Pincess, Petra e Weltenburger Kloster, no cardápio de bebidas Premium, investimento mais recente da companhia e que possui margem de lucro cinco vezes maior que a convencional.

Ana Lúcia de Mattos Barretto Villela – US$ 2,4 bilhões

E na corrida dos bilhões, Ana Lúcia de Mattos Barretto Villela está com Walter Faria na sua cola, por coisa pouca, cerca de 100 milhões de dólares. Ana Lucia Villela é uma das maiores acionistas da holding Itaúsa, empresa que detém posse majoritária sobre o controle, por exemplo, de gigantes como o Itaú-Unibanco e Duratex. Marcas fundadas pelo seu bisavô, Alfredo Egídio de Souza Aranha. Ana também é presidente do Instituo Alana.

Roberto Irineu Marinho – US$ 2,5 bilhões

Roberto Irineu Marinho é o filho mais velho de Roberto Marinho, fundador do Grupo Globo. Atualmente ele, que é casado e pai de quatro filhos, é presidente-administrativo do conglomerado criado por seu pai, em 1925. Roberto Irineu Marinho começou a trabalhar no Grupo Globo em 1965 como aprendiz de linotipista. Ao lado dos irmãos, é uma bela prova de que o trabalho enobrece mesmo, já que quando faleceu, em 2003, Roberto Marinho deixou uma fortuna de aproximadamente US$ 1,5 bilhão para os filhos e, segundo levantamento da Forbes em 2018, apenas Roberto Irineu Marinho tem hoje US$ 2,5 bilhões.

José Roberto Marinho – US$ 2,5 bilhões

Ao lado dos irmãos mais velhos, Roberto Irineu e João Roberto, está à frente do Grupo Globo. Além de fazer parte de uma das famílias mais ricas do Brasil, José Roberto Marinho tem trajetória profissional parecida com a dos irmãos. Começou a trabalhar na empresa da família, no jornal O Globo, no início da década de 1970. Formado em História pela PUC-RJ e em geografia pela UFRJ, José Roberto se destacou como repórter do tradicional jornal carioca.

JOÃO ROBERTO MARINHO – US$ 2,5 bilhões

João Roberto Marinho começou a trabalhar na empresa familiar em 1973. À época, foi ser repórter na editoria Geral do jornal O Globo. Casado e pai de 3 filhos, preside, dentro do Grupo Globo, o Conselho Editorial e Conselho Institucional e é vice-presidente do Conselho de Administração. Em relatos disponíveis sobre João Roberto, ele é citado por pessoas que já trabalharam ao seu lado como um homem gentil e que sabe ouvir o que os outros têm a dizer. João Roberto Marinho também é um exímio cavaleiro. Tanto que, em 2010, foi campeão brasileiro na categoria por equipes.

 

Jayme Garfinkel – US$ 2,5 bilhões

Jayme Brasil Garfinkel é o presidente do conselho de administração da Porto Seguro Seguros, terceira maior empresa do ramo no Brasil. É o maior acionista da empresa, com 40% das ações.Formado em engenharia civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em 1970 e pós-graduado em administração de empresas pela Faculdade Getúlio Vargas, em 1975, Jayme Brasil Garfinkel é filho de Abrahão Garfinkel, fundador da Porto Seguro.

João Roberto Marinho começou a trabalhar na empresa familiar em 1973. À época, foi ser repórter na editoria Geral do jornal O Globo. Casado e pai de 3 filhos, preside, dentro do Grupo Globo, o Conselho Editorial e Conselho Institucional e é vice-presidente do Conselho de Administração. Em relatos disponíveis sobre João Roberto, ele é citado por pessoas que já trabalharam ao seu lado como um homem gentil e que sabe ouvir o que os outros têm a dizer. João Roberto Marinho também é um exímio cavaleiro. Tanto que, em 2010, foi campeão brasileiro na categoria por equipes.